Home Notícias Alunos elaboram rótulo do primeiro vinho feito no IFSC
Alunos elaboram rótulo do primeiro vinho feito no IFSC PDF Imprimir E-mail
Sex, 17 de Novembro de 2017 15:16

Uma parceria entre os câmpus Florianópolis e Urupema resultou na elaboração de um rótulo para o primeiro vinho fabricado no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Participaram do projeto alunos dos cursos superior de tecnologia em Design de Produto e de graduação em Vitucultura e Enologia. O nome escolhido para o produto foi Primum que, em latim, significa “pela primera vez”.


A ideia de criação da marca e do rótulo foi do professor da disciplina de Marketing do curso de Viticultura e Enologia do Câmpus Urupema, Tiago Alvarenga., que entrou em contato com o tutor responsável pela empresa junior A3 Design, do curso de Design de Produto do Câmpus Florianópolis, Aldrwin Hamad. Para desenvolver o conceito, os futuros designers foram a Urupema conhecer todo o processo de fabricação da bebida, visitando os laboratórios, vendo os equipamentos uilizados e trocando experiência com os alunos de Viticultura e Enologia. “O encontro foi essencial para o processo de elaboração do rótulo, onde através do debate, reflexão e o compartilhamento de ideias, foi possível coletar dados importantes para construção do produto final”, destaca Alvarenga.

Para a aluna do curso de Design de Produto,  Débora Sperandio (na foto), a visita foi fundamental para entender o processo como um todo e os anseios dos estudantes e professores de Urupema. “O contato olho no olho foi definitivo pra entender a essência do projeto e captar o que eles realmente queriam transmitir com o vinho, acarretando na construção de uma identidade, não como vinho, mas como turma”, explica.

O nome Primum foi escolhido pelos alunos de Viticultura e Enologia após sugestão de Alvarenga. “A intenção da turma era transmitir a ideia de ser o primeiro vinho fabricado por eles no IFSC”, conta o professor.

Desenvolvimento da marca

O levantamento de informações visuais, a pesquisa sobre a legislação, a produção e os testes gráficos deram inicio ao processo de elaboração do rótulo. O conceito aplicado foi a desconstrução de uma molécula de DNA, em que  as linhas obtidas pela desconstrução formam o movimento, relembrando o ato do vinho sendo derramado em uma taça.

“A ideia surgiu  quando refletimos sobre a identidade da turma, já que, durante a conversa, eles reforçaram o quanto eles eram únicos por serem os pioneiros na produção de vinho no curso”, detalha a aluna Samantha Gollnick, também do curso de Design de Produto, ao explicar a busca por uma identidade marcante e única, capaz de representar a turma. “Assim, trabalhamos a forma do fluido líquido do vinho, com as linhas desconstruídas de um DNA, para representar o melhor dos dois lados”, complementa.  Após a criação da arte, foi realizada a impressão dos rótulos apresentados posteriormente como trabalho final no curso de Urupema.

Parceria exitosa

Para Alvarenga, a experiência vivenciada pelos alunos e professores envolvidos no projeto proporcionou uma visão mais ampla do mercado de trabalho, na qual os alunos puderam compreender o funcionamento de uma indústria, percebendo a importância da atuação de cada um dos profissionais  no processo de fabricação e a relação com o cliente. “ O resultado final ficou incrível e demonstrou muito profissionalismo, desde a coleta de informações até a apreciação dos modelos e execução do rótulo”, ressalta o professor.

A parceria entre os câmpus também foi positiva para o docente. “ Foi muito bom poder trocar conhecimento entre as áreas e fortalecer laços entre os câmpus e os cursos. Espero poder desenvolver novos projetos no futuro”, afirma o docente.

O vinho produzido no IFSC faz parte de um trabalho pedagógico e não pode ser comercializado. Ele será distribuído entre os alunos (maiores de idade) do Câmpus Urupema e ofertado como cortesia aos palestrantes que ministrarem palestras na Instituição.

Por Eduarda Rigoli | Estagiária de Jornalismo IFSC

 

 

Docentes e horários de atividades

Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.